Finanças

Como investir a restituição do Imposto de Renda?

07/07/2022 14:39 | Fonte: José Carlos Dorte

Renda fixa, fundos moderados ou ações? Confira recomendação do consultor de finanças, José Carlos Dorte.

Há opções para quem está endividado e para quem tem folga no orçamento mensal. | Foto: ANAJUSTRA Federal
A+ A-

Metade de 2022 já se passou e estamos nos encaminhando para o final do ano. Muitas
Muitas coisas aconteceram e muitas outras ainda estão por acontecer: controle da pandemia, guerra na Ucrânia, eleições, Copa do Mundo etc.

Em meio a isso, nosso dinheiro está sendo corroído terrivelmente pela inflação. Notamos isso facilmente quando construímos ou reformamos casas,
fazemos compras nos supermercados, adquirimos um carro novo ou quando precisamos abastecê-lo.

É normal que, diante deste cenário, as pessoas usem qualquer dinheiro que entre na conta com gastos do dia a dia, mas essa não é a melhor escolha para quem está endividado. Vamos utilizar o valor da restituição do Imposto de Renda como exemplo.

Neste ano, as devoluções começaram a ser pagas no mês de maio e seguem até setembro. Quem recebeu o valor e tem dívidas, a melhor opção é sair dos financiamentos mais caros tais como cartões de crédito, cheque especial e CDC. O simples fato de poder liquidar ou ao menos diminuir esses débitos irá evitar o carregamento de juros elevados o que onera ainda mais o nosso debilitado orçamento.

Para aqueles que têm reservas e não têm perfil agressivo de investimento, as aplicações financeiras são boas opções em consequências das oscilações das taxas. Os investimentos em Renda Fixa vêm apresentando bons resultados, juntamente com fundos moderados.

O mercado de ações vem andando de lado devido aos efeitos da economia global, movimentos políticos regionais, etc. Papéis de empresas de primeira linha ainda apresentam rentabilidades interessantes, mas exigem do investidor uma rigorosa análise da carteira. As mais tradicionais, como Petrobras, Magazine Luiza e Americanas, tiveram as maiores quedas nos últimos tempos. Antes de investir, é recomendado escolher os segmentos que estão em alta e que não sofrerão com os efeitos dos atuais problemas que estamos convivendo. As mais aconselhadas para o cenário de hoje são Vale, Suzano, Banco do Brasil e Votorantim Metais.

Nestes próximos meses de 2022, minha orientação geral é que você centre suas energias em fazer um controle financeiro, procurando também fazer um bom planejamento, buscando otimizar os gastos futuros, pois não há espaço para aventuras no momento econômico que vivemos.

Por José Carlos Dorte, consultor de finanças da ANAJUSTRA Federal