Convênios

Educação pós-pandemia e novo ensino médio: como escolher a nova escola do seu filho

04/11/2021 13:57 | Fonte: Da assessoria

A ANAJUSTRA Federal é parceira de instituições nas cinco regiões do Brasil.

Descubra como escolher o tipo de ensino ideal para o próximo ano. | Foto: Divulgação.
A+ A-

O próximo ano letivo está chegando. Depois de quase dois anos com a experiência do homeschooling, as famílias se preparam para que as crianças e adolescentes voltem à “programação normal”, e frequentem a escola presencialmente, pelo menos na maior parte do tempo.

Com a pandemia, muitos alunos permaneceram na mesma instituição de ensino e assim devem continuar, mas há quem esteja em busca de uma nova escola, seja porque chegou ao fim um ciclo escolar ou apenas pelo desejo de garantir novas experiências (de educação, financeiras, logísticas, etc.). Os motivos variam entre as crianças e, claro, entre os pais.

Para a gerente de benefícios da ANAJUSTRA Federal, Gelice Prado, um dos fatores mais importantes é que a escola seja uma extensão daquilo que a criança já tem em casa. “A escola precisa ter uma dinâmica semelhante àquilo que a família considera mais importante, seja em ensino, valores sociais ou pessoais”, explica.

O projeto pedagógico da instituição precisa ser semelhante àquilo que a família busca e acredita, mas também é necessário que o estudante esteja confortável com o tipo de instituição e a linha de ensino adotada.

Existem escolas tradicionais, focadas apenas no aprendizado da grade dos alunos, como também escolas que além do ensino das matérias também trabalham o lado criativo de cada criança ou adolescente. Há ainda, escolas voltadas para o ensino tradicional, mas que também estimulam os valores de cada indivíduo.

A área da educação é um dos setores com o maior número de parceiros da ANAJUSTRA Federal, por meio do setor de benefícios, com instituições de ensino em todas as regiões do Brasil. Dentre as escolas conveniadas, o grupo Marista é a com maior número de unidades parceiras e oferece ensino de qualidade que vai desde a educação infantil ao ensino médio.

Os convênios do Marista estão presentes nas unidades São José Tijuca e São José Barra, no Rio de Janeiro. Em Minas Gerais, as filiais em Varginha, Montes Claros, Uberaba, Patos de Minas e Belo Horizonte e também em Vila Velha e Colatina, no Espírito Santo. O grupo também está presente em Recife (PE), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Belém (PA), Salvador (BA), além de duas unidades em Brasília, em Águas Claras e Taguatinga.

A rede Dom Bosco é outro exemplo de ensino de qualidade da educação infantil ao ensino médio, com base nos princípios e valores cristãos. Os associados de Brasília e Campo Grande (MS) garantem mensalidades 15% mais baratas.

Além dessas instituições, a rede Batista é uma das novas parceiras. As unidades Batista Santos Dumont de Seis Bocas, Varjota, Ed. Queiroz, Aldeota, todas no Ceará oferecem até 45% de desconto. O Colégio Batista Mineiro, em Belo Horizonte (MG) e o Colégio Batista Brasileiro, em São Paulo (SP), garantem 10% off nas mensalidades.

Outra novidade é a Rede de Ensino Doctum com 25% off nas mensalidades no ensino infantil, fundamental e médio. A rede ainda oferece 30% de desconto em mais de 40 cursos de graduação e pós. Convênio válido para titulares e dependentes residentes em Minas Gerais e Espírito Santo.

As escolas internacionais e bilíngues são também outro modelo de ensino que têm sido bastante procurado pelos pais, pois oferecem além das matérias previstas na grade curricular, o ensino de outro idioma desde cedo. A ANAJUSTRA Federal é parceira da Maple Bear, unidade Campo Grande (MS), e Swiss International School, em Brasília.

Confira as lista de escolas parceiras, da educação infantil ao ensino médio:

A entidade é parceria de escolas em todas as regiões do país.  - ANAJUSTRA Federal. A entidade é parceria de escolas em todas as regiões do país. - ANAJUSTRA Federal.
Uma nova escola

Toda mudança requer uma análise e vários são os fatores para trocar a escola dos filhos. Além do endereço da instituição, somado ao horário e transporte, não representarem um problema de mobilidade, e do projeto pedagógico ser próximo àquilo que a família deseja, é fundamental que o aluno se sinta bem e que a escola seja um ambiente acolhedor para ele. Quando a criança ou adolescente não se sente bem, ou até mesmo se recusa a ir às aulas, é necessário descobrir os motivos por trás desse comportamento.

O corpo docente também é um fator que precisa ser considerado. Avalie como os profissionais são tratados, se há formação continuada na escola e se existe uma equipe que faça atendimento individual no caso de crianças com necessidades especiais.

Mas nem sempre a troca de escola tem a ver com a afinidade da criança com o local. Às vezes, é uma necessidade, seja por uma mudança de cidade da família, por questões financeiras ou porque chega ao fim um ciclo escolar, como o fim da educação infantil ou ingresso no ensino médio, por exemplo, e a instituição anterior não conta com as novas séries.

Outros fatores que podem determinar a escolha de uma nova escola são as prioridades para as famílias, como o ensino em tempo integral ou em meio período e questões relacionadas à alimentação das crianças, especialmente para aquelas que passam o dia todo na escola.

A aprendizagem de um novo idioma, como ocorre nas escolas bilíngues, também pode ser fator decisivo, e não apenas de língua inglesa. Nos últimos anos, o mandarim começou a despontar dada a ascensão chinesa. Isso sem falar das ferramentas tecnológicas e ambiente online, e como cada instituição de ensino lida com essa nova realidade.

Novo ensino médio

Além de todas as mudanças impostas por um novo ano escolar e adaptação a uma nova escola, para as famílias que optarem por fazê-la, 2022 terá uma novidade para os estudantes do ensino médio, o início de uma nova modalidade: com uma nova grade horário e de conteúdo, foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional.

O Novo Ensino Médio começa a ser implementado em 2022 e será obrigatório a partir de 2023, nas escolas públicas e privadas, conforme previsto na Lei nº 13.415/2017 que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Em 2022, os alunos já contam com ampliação da carga horária. As 4 horas atuais passam para no mínimo 5.

As disciplinas, atreladas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), serão divididas em quatro áreas do conhecimento: linguagens e suas tecnologias (língua portuguesa, artes, inglês e educação física); matemática; ciências da natureza e suas tecnologias (biologia, física e química) e ciências humanas e sociais aplicadas (história, geografia, sociologia e filosofia).

Outra novidade são os itinerários formativos, que são áreas que os alunos terão a liberdade de escolher e se aprofundar, de acordo com as áreas que mais gostam ou que têm mais afinidade. São cinco itinerários, que correspondem às quatro áreas do conhecimento já citadas e a formação técnica e profissional, essa última, garantirá aos estudantes uma formação profissional e técnica dentro da carga horária do ensino médio regular.