Vivaz Idade Foto: ANAJUSTRA Federal

"Vivaz Idade": aposentados sim, inativos não!

Aposentados de vários TRTs, TRFs 2 e 5 e do TRE-RJ estarão nos meses do próximo ano. Confira a mensagem deixada por cada um deles.

A+ A-

A campanha do Calendário institucional da ANAJUSTRA Federal de 2023 não poderia ter tema mais lindo: "Vivaz Idade". Um verdadeiro viva à maturidade! Sim, um viva a todos os aposentados do Judiciário Federal.

Doze associados ganharam um processo seletivo online, com votação aberta. Mas foi possível conhecer a história de dezenas de servidores aposentados, que nos mostraram o que vêm fazendo de bom nesta etapa da vida, depois de finalizarem seu percurso no serviço público.
Novos ou antigos hobbies por prazer ou que se tornaram um negócio. Uma nova profissão. Um esporte desafiante que entrou na lista de atividades diárias ou uma nova língua aprendida no tempo livre. Valia tudo aquilo que ganhou espaço na vida após a aposentadoria e que vale a pena compartilhar e inspirar os colegas.

Vamos fazer um passeio pelo ano que virá e seus respectivos ganhadores?
Atenção: contém spoilers

Janeiro - Raquel Inocência Saad Reigada, do TRT15

Abril - Monica Coelho Wanderley, TRT1


Maio - Maria do Carmo Guimarães Rodrigues, TRT1

Junho -Luciene de Oliveira Silva, do TRT3

Julho -Beatriz Ferreira Corrêa da Silva, TRT9

Setembro -Sergio de Sá Marinho, do TRF2

Novembro -Paulo Roberto Combat dos Santos, TRE RJ

Dezembro - Diana Maria Camara Gomes, TRF5

Envelhecer no Brasil e no mundo: você já pensou sobre isso? 

Expectativa de vida, por Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Uma pessoa nascida no Brasil em 2019 tinha expectativa de viver, em média, até os 76,6 anos. Desde 1940, a esperança de vida aumentou 31,1 anos. E a longevidade feminina é, em média, sete anos acima da dos homens. - ANAJUSTRA Federal
- - ANAJUSTRA Federal

População de idosos, por Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

  - ANAJUSTRA Federal
  - ANAJUSTRA Federal

Países mais e menos envelhecidos (2020), por Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV Social)

  - ANAJUSTRA Federal

 

Envelhecer sem medo

Para celebrar a campanha do calendário 2023, a jornalista e influenciadora Patrícia Parenza, referência no combate ao etarismo, falou como “Envelhecer sem medo” e ter uma "Vivaz Idade", tema do tradicional impresso da ANAJUSTRA Federal.

Em novembro, no dia 25, perguntamos no nosso Instagram, @anajustra, algumas questões curiosas relacionadas ao envelhecer, como: você já pensou em envelhecer? Ageismo, etaísmo, idadismo e etarismo são a mesma coisa? Qual termo mais adequado para tratar uma pessoa com idade igual ou superior a 60 anos? O que é gerontocídio?

Confira as respostas:



Assim como a mostrar que a aposentadoria não é o fim da vida, precisamos mostrar às pessoas que termos relacionados ao envelhecer precisam ser conhecidos, sobretudo para serem combatidos quando descabidos. Por isso, confira quais as respostas adequadas às questões feitas.

Ageismo, etaísmo, idadismo e etarismo são a mesma coisa?

São diferentes denominações para discriminação etária. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma em cada duas pessoas no mundo tem algum tipo de preconceito contra os mais velhos.

Qual termo mais adequado para tratar uma pessoa com idade igual ou superior a 60 anos?

Em julho de 2022, o Estatuto do Idoso ganhou nova denominação: Estatuto da Pessoa Idosa. A mudança aprovada por deputados e senadores foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada no Diário Oficial da União. A nova norma (Lei 14.423) tem origem no Projeto de Lei do Senado (PLS) 72/2018, do senador Paulo Paim (PT-RS), e substitui, em toda legislação, as expressões “idoso” e “idosos” pelas expressões “pessoa idosa” e “pessoas idosas”, respectivamente.

“Assim como outros termos masculinos, a palavra ‘idoso’ é usada para designar genericamente todas as pessoas idosas, sejam homens ou mulheres — embora mulheres sejam maioria na população de mais de 60 anos. Considerando não somente o respeito ao seu maior peso demográfico, mas também a necessidade de maior atenção estatal para a potencial dupla vulnerabilidade associada ao envelhecimento feminino, o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (CNDI) tem recomendado a substituição em todos os textos oficiais”, apontou Paim.

Terceira idade, por que já usamos?

O termo "Terceira Idade" foi criado pelo gerontologista francês Huet, cujo início cronológico coincide com a aposentadoria (entre 60 e 65 anos). No entanto, o envelhecimento ocorre em diferentes dimensões (biológica, social, psicológica, econômica, jurídica, política) e depende de diversos fatores ocorridos nas fases anteriores da vida, como as experiências vividas na família, na escola ou em outras instituições. Assim, a terceira idade não comporta um único conceito, uma vez que a idade cronológica pode não ser idêntica à idade biológica e social do indivíduo.

Melhor idade, será?

A expressão começou a ser utilizada no final da década de 1980. O objetivo desse termo era infantilizar, amenizar ou tornar a menção aos idosos como algo “politicamente correto”, especialmente por setores da imprensa. Um dos objetivos era expressar que a melhor idade é a fase em que o idoso está se aposentando e, portanto, aproveitando sua aposentadoria e descanso. No entanto, sabemos que, infelizmente, nem sempre é assim que ocorre. Isso sem falar que “melhor idade”, de fato, é aquela em que o indivíduo sente ser a melhor em sua vida, seja qual faixa etária ele for. ‘Romantizar’ a velhice também pode ser uma forma de preconceito.

Sênior?!

Essa expressão foi adotada em meados de 1960 e teve como referência a pirâmide de experiência, e meritocracia de empregados em ambientes empresariais. Ou seja, em uma hierarquia corporativa, o funcionário que está iniciando determinado cargo é denominado como júnior. Já o mais experiente em sua profissão recebe o título de sênior.

O que é gerontocídio?

gerontocida adj.2g. s.2g. (práticas gerontocidas)
Definição:
1. Delito de homicídio praticado contra pessoa idosa decorrente de violência doméstica ou familiar e/ou por motivo de menosprezo ou discriminação em relação à condição de idoso.
2. Extermínio de idosos.

Fontes: Agência Senado, Grupo Cynthia Charone, Academia Brasileira de Letras.