Parlamentar

LDO será votada semana que vem e Lei Orçamentária só em março, diz relator

10/12/2014 08:27 | Fonte:

-

A+ A-

A Comissão Mista do Orçamento (CMO) deve votar nesta quarta-feira, 10/12, o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2015, disse o relator, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). De acordo com ele, depois de aprovada na CMO, a proposta deverá ser votada no plenário do Congresso Nacional na semana que vem, em sessão ainda a ser marcada. Sobre o Projeto de Lei Orçamentária (LOA) de 2015, Vital do Rêgo disse que o texto só será analisado pelos parlamentares em março.

O relator disse ainda que a LDO depende de “alguns ajustes”, referindo-se a destaques de bancadas, para ser aprovada na comissão. Vital do Rêgo apresentou na sexta-feira passada (5/12) o relatório final. Pelo texto, o esforço fiscal do governo será de R$ 55,3 bilhões em 2015 (1% do Produto Interno Bruto, o PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), já descontados os gastos com obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), estimados em R$ 28,7 bilhões no ano que vem.

O texto original da LDO, encaminhado ao Congresso em abril passado, previa superávit primário (economia para pagar os juros da dívida) de R$ 86 bilhões. Entretanto, há agora uma diferença de R$ 30,7 bilhões entre a proposta original e a do relatório apresentado por Vital do Rêgo, devido à previsão de queda de arrecadação no ano que vem. Para o senador, a nova meta proposta pelo governo é mais realista e próxima das previsões para o ano que vem.

Vital do Rêgo incluiu no texto a execução obrigatória das emendas parlamentares (Orçamento Impositivo), mesmo o Congresso ainda não tendo concluído a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC), que institui o chamado Orçamento Impositivo para as emendas individuais de deputados e senadores.

O relator da LDO propôs que as emendas individuais sejam equivalentes a 1,2% da receita corrente líquida do ano anterior e sugere que metade dos recursos das emendas seja destinada a ações e serviços públicos de saúde. No Orçamento Geral da União deste ano, os 513 deputados e 81 senadores apresentaram um total de R$ 8,6 bilhões em emendas, o equivalente a cerca de R$ 14,4 milhões por parlamentar. 

abortion real life stories abortion laws in the us abortion clinics rochester ny
why women cheat cheaters why married men cheat
how to cheat on husband sledaddicts.com catching a cheater
how to cheat on my husband blog.whitsunsystems.com cheaters