Gerais

Servidores do Judiciário fazem ato por aprovação de aumento

30/06/2015 10:13 | Fonte:

-

A+ A-

Servidores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União protestaram na tarde de ontem, 29, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para pedir a aprovação dos projetos que preveem a recomposição das perdas inflacionárias dos últimos nove anos. Os servidores se mobilizam para convencer parlamentares a aprovar os projetos de Lei da Câmara 28 e 41, que aumentam o salário em 56%.

Segundo a Polícia Militar, aproximadamente 350 manifestantes saíram da Catedral Metropolitana e seguiram em passeata até o Palácio do Planalto. Por outro lado, representantes do servidores afirmam que 2 mil pessoas participaram do movimento.

Às 16h45 o grupo estava reunido na Praça dos Três Poderes. Antes, houve um bloqueio em todas as faixas do Eixo Monumental na altura da Catedral.

A interdição também ocorreu na altura do Congresso, para a passagem dos manifestantes. Apesar disso, não havia registro de tumulto ou reflexo no trânsito. Pouco antes das 18h, parte do grupo ainda permanecia no local e planejava fazer uma vigília.

A categoria está em greve desde o último dia 9. Os trabalhadores atuam em lugares como o Tribunal de Justiça do DF, Superior Tribunal Militar e Tribunal Superior Eleitoral. O grupo afirma que pretende continuar a paralisação até que a presidente Dilma sinalize que vai atender o pedido dos servidores

A greve do Judiciário é pela aprovação do PLC 28, que prevê a recomposição das perdas inflacionárias desde 2006, data do último reajuste da categoria, e que está na pauta desta terça-feira, 30, no Senado Federal.

Tramitação

Na última quinta-feira, 25, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, se reuniu com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, para oferecer aos servidores do Judiciário o mesmo aumento salarial proposto aos funcionários do Executivo – reajuste de 21,3% para toda a categoria, parcelado em quatro anos.

O percentual seria parcelado entre 2016 e 2019, sendo 5,5% em 2016, 5% em 2017, 4,75% em 2018, 4,5% em 2019. Segundo Nelson Barbosa, o reajuste foi calculado com base na inflação estimada para o período.

No fim de maio, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou proposta que atende aos servidores, com reajustes que variam de 53% a 78,56%, conforme a função exercida.

A votação do reajuste para os funcionários do Judiciário está na pauta desta terça-feira, tendo sido incluída há duas semanas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Nos últimos dias, tem sido comum a presença de servidores nas dependências da Casa para pressionar os senadores a aprovar o texto.

Se for aprovado, o aumento será escalonado, em seis parcelas, de julho de 2015 até dezembro de 2017. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão estima que o aumento custará R$ 25,7 bilhões nos próximos quatro anos. O impacto será de R$ 1,5 bilhão, em 2015; em R$ 5,3 bilhões, em 2016; R$ 8,4 bilhões, em 2017; e R$ 10,5 bilhões, em 2018.

Devido ao impacto nas contas públicas, Renan se comprometeu a aguardar que o governo apresentasse uma proposta dentro do orçamento federal que contemplasse os três Poderes, não só o Judiciário.

Com as negociações em curso, é possível que, mesmo com a forte pressão que deve ocorrer nas galerias da Casa, a votação seja adiada para o próximo mês, pois uma nova reunião entre governo e as entidades que representam os funcionários públicos foi marcada para 7 de julho.

abortion real life stories abortion pill costs abortion clinics rochester ny
after an abortion site las vegas abortion clinics
after an abortion site las vegas abortion clinics
how to cheat on husband I cheated on my girlfriend catching a cheater
will my girlfriend cheat site cheat on my girlfriend