Gerais

Servidores e magistrado do TRT12 contam como é morar nas melhores cidades para se viver no país

25/05/2015 11:12 | Fonte:

-

A+ A-

Se você mudar para uma cidade com menos de 100 mil habitantes, para aonde iria? Antes de tomar sua decisão, saiba que quatro municípios em Santa Catarina, com varas do trabalho instaladas, foram eleitos pelo site “Sempre Família” entre as dez melhores pequenas cidades do Brasil para se viver.

A escolha foi feita com base em dados do IBGE e do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da ONU, medido em todo o mundo e que leva em conta indicadores de renda, educação e expectativa de vida. As cidades são Joaçaba (2ª do ranking), Rio do Sul (7ª), São Miguel do Oeste (8ª) e Concórdia (10ª). O In Vigilando conversou com três servidores e um magistrado das duas primeiras, para saber como é viver nesses lugares.

Lotada na VT de Joaçaba há três anos, Clarissa Rosa Maceno Lemes não pretende voltar tão cedo para a Grande Florianópolis. Ela se mudou quando ainda estava grávida de sete meses da filha Anita, em razão da transferência do esposo Marcos para o município. Uma vida tranquila e a segurança que Joaçaba oferece para sua família são os motivos que a fazem querer ficar. “Já cheguei a esquecer o carro aberto numa ida a uma farmácia, voltei e não fui roubada”, conta. Nos finais de semana costuma ir em um dos seus lugares favoritos: o restaurante Kraftwerk. “Além de a comida ser muito boa, o lugar é lindo e a Anita adora ir lá”, disse.

A colega de Clarissa em Joaçaba, a gaúcha de Santa Maria, Gleizi Ernst Kielling, também é apaixonada pela cidade, onde já mora há 28 anos. Seu passatempo é ao lado da família, seja em atividades físicas no bosque ou aproveitando uma boa leitura na sacada de sua casa. "Gosto de passear nos finais de semana, andar de bicicleta e caminhar, mas meu lugar preferido é meu lar doce lar, lugar de aconchego com a família, de renovação de forças e energias". Faltando apenas dois anos para se aposentar, a possibilidade de mudança só ocorrerá com decisão da família.

Natural de São Paulo, o magistrado Roberto Masami Nakajo mudou para o interior catarinense em 2011 para assumir a 2ª VT de Rio do Sul. Para ele, a cidade ser considerada uma das melhores para se viver tem seus motivos - a questão educacional e a segurança são dois deles. “Aqui temos ótimos colégios privados e ainda nos sentimos seguros ao sair de casa e transitar pela rua, o que não é mais comum em várias cidades de mesmo porte no Brasil”, avalia. Um bom lugar para se conhecer em Rio do Sul, segundo ele, é o parque Harry Hobus, onde passa os finais de semana com a família. “Lá minhas crianças se divertem bastante e minha esposa adora organizar um piquenique”, comenta.

Depois de morar por doze anos em Florianópolis, Simone Egewarth Flach trocou a capital para integrar a equipe da 1ª VT de Rio do Sul e ter uma gravidez tranquila, longe da correria das grandes cidades. “Queria um lugar menor para criar meu filho”, revela. Hoje, o Lucas está com cinco anos e tem um irmãozinho de três, Natan. Enquanto leva as crianças no parque Harry Hobus, Simone também aproveita para fazer atividades esportivas.