Gerais

DG do Supremo é entrevistado em especial do Dia do Servidor

27/10/2014 08:35 | Fonte:

-

A+ A-



O Dia do Servidor, comemorado em 28 de outubro, é uma data para lembrar a importância do trabalho de milhares de brasileiros que fazem com que a máquina pública funcione, beneficiando toda a população. Instituído no Governo Vargas, o dia foi originalmente chamado de Dia do Funcionário Público e, com a edição da Lei 8.112/90, ganhou a nomenclatura atual. 

Em 2002, na esfera federal, havia cerca de 880 mil servidores, segundo o Boletim Estatístico de Pessoal da Secretaria de Gestão Pública do Ministério do Planejamento. Ainda de acordo com os dados do Boletim, o Judiciário tinha quase 81.716 funcionários. Em 2012, a administração pública federal contava com mais de 1,1 milhão de servidores, sendo que cerca de 105 mil pertenciam ao Poder Judiciário. No mesmo ano, conforme o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), a Justiça Trabalhista já possuía mais de 42 mil servidores em seu quadro. 

Para falar da expressividade da categoria e homenagear os servidores do Judiciário, em especial o Trabalhista, a ANAJUSTRA entrevistou o diretor-geral do Supremo, Amarildo Vieira de Oliveira, que falou sobre os ganhos da carreira nos últimos anos e desafios para o futuro. 

Servidor do Supremo Tribunal Federal há mais de 20 anos, Oliveira é acompanhou de perto as negociações em torno dos planos de carreira dos servidores do Judiciário e está à frente das conversas sobre o reajuste previsto no PL 7920/2014. A conversa também trata de temas como jornada de trabalho, informatização, trabalho a distância e do possível enquadramento da carreira como típica de Estado, um dos pleitos considerados mais importantes na valorização do quadro do Judiciário. 



A entrevista está disponível no hotsite, criado pela assessoria de comunicação da ANAJUSTRA especialmente para a data. Na página, também está disponível artigo do secretário-geral da associação, Alexandre Seixas Saes, do TRT de Campinas e a programação dos TRTs 2, 5, 6, 12, 16,20 e do TST para o Dia do Servidor. A assessoria de comunicação da ANAJUSTRA não teve acesso as atividades dos demais Tribunais. 

Acesse a página

Confira um trecho da entrevista

ANAJUSTRA: Qual a conquista recente mais importante para os servidores do Poder Judiciário Federal?

Amarildo Vieira de Oliveira: Eu diria que foi a Lei nº 11.416, de 2006, que já nem pode ser chamada de tão recente assim. No entanto, ela foi um divisor de águas, pois introduziu institutos como o adicional de qualificação (AQ), gratificação de atividade externa (GAE) para os oficiais de justiça, gratificação de atividade de segurança (GAS), para os agentes de segurança, assegurou que no mínimo 50% dos cargos em comissão (CJ’s) deveriam ser ocupados por servidores do quadro de pessoal de cada órgão do Poder Judiciário da União (PJU) e tornou a participação em cursos de desenvolvimento gerencial para os ocupantes de cargos de chefia (Chefes de Seção e Diretores) uma exigência.

ANAJUSTRA: Para o senhor, quais as causas do entrave na aprovação do reajuste da categoria, previsto inicialmente no PL 6.613/2009?

AVdeO: Trata-se, obviamente, da magnitude dos recursos envolvidos. Desde o primeiro PCS, de 1996, nossa categoria aumentou consideravelmente. Embora não disponha de números, creio que ela dobrou de tamanho no período. Consequentemente, a massa salarial também aumentou. Para se ter uma ideia, o impacto da proposta de reajuste alcança a importância de 10,4 bilhões de reais.

ANAJUSTRA: Recentemente, um pedido de vista adiou a definição sobre uma data-base de revisão remuneratória anual. Uma decisão favorável pelo Supremo poderia favorecer o pleito atual dos servidores do Judiciário Federal?

AVdeO: Sim, como também de todo o funcionalismo público. Uma parte do que estamos pleiteando compensará o fato de que a implantação do plano se projetará para exercícios futuros e apenas compensará a inflação, estimada na casa dos 5% anuais. Se a data-base for restabelecida, nossos reajustes tenderão a ser menores no futuro.

abortion real life stories abortion laws in the us abortion clinics rochester ny
why women cheat cheaters why married men cheat
abortion clinics in greensboro nc during pregnancy abortion vacuum
wife cheated on me now what dabbeltinsurance.com wife wants to cheat
wife cheated on me now what i want to cheat on my wife wife wants to cheat