Sozinho ou em grupo, servidor do TRT3 se dedica ao hobby de fotografar

11/10/2018 10:29
A+ A-

A luz da manhã e do pôr do sol são as favoritas para quem gosta de fotografar fora do estúdio, utilizando apenas luz natural. O servidor Ranerio Vieira, do TRT3, também é admirador da "hora mágica" e aproveita cada segundo para registrar o que se destaca em sua frente.

"Com 16 anos, aprendi a usar uma câmera Reflex (o modelo 'profissional'), pois fazia curso técnico e um dos requisitos era fotografar peças teatrais, fotografia still, e gostei do assunto. Na época, idos de 1994, era bem caro uma câmera destas, então continuei a estudar o assunto, mas só utilizei os conhecimentos que eram possíveis de colocar em prática com uma câmera Kodak 35mm sem ajustes, tais como composição e luz. A medida que foi barateando a tecnologia, em 2012 adquiri um modelo equivalente em formato digital, uma DSLR (Digital Reflex), e voltei a fotografar com mais afinco, mesmo que nesse meio tempo produzi fotos interessantes, mas nunca tinha levado muito a sério."

Em 2017, Ranerio iniciou um curso profissionalizante, como um hobby, para aprimorar a técnica e o olhar. Mesmo não se considerando profissional, já que não depende financeiramente da fotografia, ele realiza alguns ensaios quando é requisitado. "É o encantamento que vende, o domínio da técnica e o timing do fotógrafo, saber usar a técnica certa, o momento certo, a composição certa para obter um efeito que encante quem vê a foto, esta é a diferença. Qualquer um pode ir na loja de artes e comprar tintas e telas, mas só o pintor vai conseguir pintar um quadro", disse.

Com o curso profissionalizante, Ranerio expandiu as cenas, cenários e personagens que costumava fotografar. "Cenários preferidos são os prédios de época de Belo Horizonte, cidades históricas de Minas, arquitetura barroca, arquitetura modernista e street (pessoas e cenas urbanas, cenas do cotidiano da cidade). Utilizo foto colorida 90% do tempo, preto e branco somente quando a cena é dramática e pede esse preto e branco. Digital o tempo todo", explicou.

Cliques casuais e planejados 

Ele utiliza a rede social Instagram para compartilhar as fotografias e interagir com outros apaixonados pelas imagens. "Quase sempre faço uma série e procuro publicar aos poucos, para não enjoar, na realidade um tema por vez. 80% do que publico no Instagram são fotos casuais, feitas com o próprio celular, que por sinal é ótimo para fotos de dia com muita luz , em ambientes abertos, temos que utilizar bem todos os recursos que temos. Apareceu uma luz bacana, uma composição show, saca o celular e vai foto, e nada de purismo."

Os cliques planejados também acontecem e quando define um tema, Ranerio utiliza a câmera profissional e outros equipamentos, como flash, tripé e alguns filtros para acoplar na lente. Mas ele não anda só: "Participo de um grupo que se chama FotoAPé, no Facebook, que organiza saídas para fotografar pontos turísticos, e coisas menos batidas, cemitérios, por exemplo, da cidade de BH. O FotoApé é super organizado, com direito a camiseta e tudo. Acho o maior barato, vou tanto pela farra quanto pelas fotos, e assim, tenho acesso a locais que sozinho não me deixariam entrar. Isso é fantástico."

Confira alguns cliques de Ranerio abaixo e acesse o perfil no Instagram para acompanhar as postagens. 

Últimas