Acervo

Deputados da base não se sentem seguros para votar reforma na Previdência

03/05/2017 08:40 | Fonte:

-

A+ A-


Foto: Cleia Viana/Agência Câmara

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16 enfrenta grande resistência na Câmara dos Deputados mesmo depois das mudanças feitas pelo relator da Comissão Especial, Arthur Maia (PPS/BA). Discutida na tarde desta terça-feira, 2/05, a reforma deve ser votada na comissão nesta quarta-feira, 3.

Roberto Bucar, assessor parlamentar da ANAJUSTRA, acompanha a comissão na Câmara. Para ele, a votação será apertada. Mesmo assim, segundo Bucar, o presidente da comissão Carlos Marun (PMDB/MS) descartou a hipótese de que a votação seja adiada.

“Deputados da base governista afirmam que se sentem inseguros para votar a medida amanhã na comissão especial e pedem que os líderes tenham uma postura mais firme e transparente para evitar que os parlamentares sejam os mais desgastados junto à população com a possível aprovação da PEC”, explica.

O deputado Alessandro Molon (REDE/RJ) foi um dos que anunciou voto contrário ao substitutivo apresentado por Maia. “Votarei contra o substitutivo e espero que esta comissão o derrote. E se o aprovar, o que não será surpresa porque em comissão especial nós sabemos que o Governo pode trocar membros até formar a maioria que quiser, eu espero que o Plenário dessa casa derrote essa reforma”, indicou Molon.

Outros deputados de situação e oposição se colocaram contra a proposta durante o debate. “Os parlamentares reivindicam uma proposta mais equilibrada e alguns chegam a dizer até que ela é uma medida cruel e injusta. Economistas também dizem que esta proposição é um instrumento falho e tardio, logo não seria a melhor saída”, comenta Bucar.