Acervo

Judiciário tem que investir em práticas alternativas

08/06/2009 08:39 | Fonte:

-

A+ A-

Os profissionais da Justiça precisam ser mais inventivos e ousados. A afirmação foi do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional da Justiça, durante o lançamento da 6ª edição do Prêmio Innovare. A solenidade aconteceu no antigo Salão do Júri do Tribunal de Justiça de São Paulo, nesta sexta-feira (5/6), e reuniu ministros, desembargadores, juízes, promotores de justiça, advogados e empresários.

A nova edição do prêmio tem como tema Justiça Rápida e Eficaz. Com ele, o Instituto Innovare quer identificar práticas que garantam a ordem social, onde os direitos e liberdades das pessoas possam ser plenamente realizados a partir de uma justiça que solucione os conflitos de forma ágil e com qualidade.

Gilmar Mendes criticou o excesso do que ele chamou de cultura da judicialização e disse que essa prática se tornou um entrave para a modernização e celeridade do Judiciário brasileiro. “Precisamos inovar e melhorar a qualidade dos profissionais da justiça”, disse o ministro. “Temos que ser inventivos e investir em práticas alternativas de aplicação do direito”, completou Gilmar Mendes.

Segundo o ministro, os magistrados precisam aprender a preservar direitos, sem manter de forma exacerbada a cultura judicialista. Depois, de maneira cordial, se dirigiu ao presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, anfitrião do encontro, e disse: “São muitos processos, presidente, mas é preciso ousadia para evitar a judicialização”. Bellocchi acenou com concordância.

O Tribunal paulista, a maior corte do país e do mundo, tem em seu acervo cerca de 18 milhões de processos, de acordo com dados da corregedoria Geral da Justiça do TJ, e de 19 milhões, segundo o último levantamento do CNJ.

O caso paulista é o exemplo clássico da lentidão do Judiciário brasileiro. Apesar do esforço empreendido pelos seus magistrados, não consegue reduzir o estoque de processos. A solução para o quadro da justiça estadual de são Paulo será o grande salto da prestação jurisdicional do país.

O presidente do Supremo disse acreditar numa luz a iluminar uma saída para a Justiça. Citou como exemplos que vem sendo feito como vias e formas de resoluções de conflitos pelas cortes superiores, como a Repercussão Geral e a Súmula Vinculante, no STF e a Lei dos Recursos Repetitivos, aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

De acordo com o ministro Gilmar Mendes essas medidas já demonstraram ter impacto forte nos tribunais superiores e o resultado deverá se irradiar pelas demais instâncias do Judiciário.

O presidente do STF e do CNJ aproveitou o lançamento do Prêmio Innovare para dizer que a iniciativa tem inspirado a atuação do Conselho Nacional de Justiça. “O prêmio é uma fonte de luz e inspiração”, disse Gilmar Mendes que citou como exemplos os mutirões feitos pelo CNJ no Piauí, que começou na forma tradicional de correição e se transformou num trabalho volante, envolvendo magistrados, servidores e voluntários.

Segundo ele, com criatividade, planejamento e gestão o Judiciário pode se renovar e ser mais eficiente e próximo da população, que credita todas as mazelas da aplicação da justiça ao Judiciário.

Fonte: Conjur

why women cheat reasons why women cheat on their husbands why married men cheat
abortion clinics in greensboro nc weeks of pregnancy abortion vacuum
will my girlfriend cheat my girlfriend cheated on me with a girl cheat on my girlfriend
when your wife cheats read how to know your wife cheated